Os elefantes se chamam entre si com "nomes"

Publicado por Cédric - Há 20 dias - Outras Línguas: FR, EN, DE, ES
Autor do artigo: Cédric DEPOND
Fonte: Nature Ecology & Evolution
Os elefantes africanos utilizam chamadas específicas para se dirigirem uns aos outros, de maneira semelhante a nomes. Esta descoberta, publicada em Nature Ecology & Evolution, revela uma nova dimensão da comunicação animal.

Uma equipe internacional de pesquisadores, incluindo membros da Save the Elephants, Colorado State University e ElephantVoices, estudou as vocalizações desses paquidermes no Quênia. Eles gravaram 469 chamadas distintas na reserva nacional de Samburu e no parque nacional de Amboseli, identificando 101 emissores e 117 receptores únicos.


Imagem de ilustração Pixabay

Os pesquisadores utilizaram um algoritmo de aprendizado de máquina, o Random Forest, para analisar essas gravações. Eles descobriram que os elefantes usam "etiquetas vocais" específicas, comparáveis a nomes, para se dirigirem a outros membros do grupo. Nos testes de reprodução, os elefantes respondiam com entusiasmo quando uma chamada lhes era destinada, confirmando assim sua capacidade de reconhecer essas etiquetas vocais.

O Dr. Mickey Pardo, autor principal do estudo, explica que "os elefantes usam vocalizações específicas para cada indivíduo e reconhecem uma chamada destinada a eles, ignorando as destinadas a outros." Isso demonstra sua capacidade de identificar se uma chamada lhes é direcionada, mesmo fora de contexto.

Esses "nomes" são usados mais frequentemente pelos adultos, especialmente quando se comunicam com elefantes distantes ou com os filhotes. Os jovens, por outro lado, não utilizam com frequência essas etiquetas vocais, sugerindo um aprendizado progressivo dessa habilidade.

A Dra. Joyce Poole, diretora científica da ElephantVoices, observa que os elefantes respondem de maneira enérgica à chamada de um membro da família. Esse comportamento indica uma capacidade de comunicação avançada, diretamente ligada a funções cognitivas sofisticadas. Ao contrário dos golfinhos e papagaios, que imitam as chamadas dos outros, os elefantes usam sons personalizados para nomear cada um de seus companheiros. Essa capacidade de criar sons arbitrários é essencial para a riqueza da linguagem humana.

Segundo o professor George Wittemyer, essa descoberta sobre as etiquetas vocais dos elefantes poderia fornecer pistas valiosas sobre a evolução da linguagem humana e animal. Compreendendo melhor a comunicação dos elefantes, poderíamos elaborar estratégias de conservação mais eficazes para proteger esses animais majestosos.

Frank Pope, CEO da Save the Elephants, conclui: "Os elefantes, embora separados dos humanos por milhões de anos de evolução, compartilham muitas similaridades em sua estrutura social e inteligência. A inteligência artificial nos ajuda a descobrir esses segredos e este é apenas o começo das revelações que estão por vir."

Essas pesquisas abrem perspectivas empolgantes para o estudo da cognição animal e das origens da linguagem. Ao analisar mais profundamente as vocalizações dos elefantes, os cientistas esperam descobrir outros aspectos de sua comunicação complexa e desenvolver novos métodos para sua conservação.
Página gerada em 0.119 segundo(s) - hospedado por Contabo
Sobre - Aviso Legal - Contato
Versão francesa | Versão inglesa | Versão alemã | Versão espanhola